Sábado, 22 de Junho de 2024
Agricultura Agricultura

Pesquisa da Epagri identifica as áreas rurais prioritárias para regularização ambiental em SC

Exemplo de APP a ser recuperada, visto que as margens do rio e algumas encostas íngremes são utilizadas como pastagem – Foto: Luiz Vianna / EpagriP...

11/06/2024 às 14h57
Por: Edivaldo Domingos Fonte: Secom SC
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

Exemplo de APP a ser recuperada, visto que as margens do rio e algumas encostas íngremes são utilizadas como pastagem – Foto: Luiz Vianna / Epagri

Continua após a publicidade
Anúncio

Pesquisadores da Epagri/Ciram desenvolveram um sistema para calcular as condições ambientais do uso e cobertura do solo na área rural de Santa Catarina e desta forma estimar as áreas prioritárias para regularização ambiental. A pesquisa identificou que 633,2 mil hectares de áreas de preservação permanente (APP) no estado precisam se adequar ao Plano de Regularização Ambiental (PRA).

Continua após a publicidade
Anúncio

Essa estimativa foi realizada pelo  Sistema de Mapeamento da Fragilidade Ambiental de Santa Catarina (SMFA-SC) , desenvolvido pelos pesquisadores Luiz Vianna e Fábio Zambonim. “Como resultado temos uma estimativa de área a ser recuperada e um sistema que permite planejar a recuperação através da priorização de áreas em função da fragilidade ambiental, dados fundamentais para que se desenvolvam políticas públicas nessa área ”, explica Vianna.

Continua após a publicidade
Anúncio

O pesquisador salienta que quanto mais próximo dos recursos hídricos, quanto maior a declividade e quanto maior o índice topográfico (topos de morro), maior é a fragilidade ambiental potencial. “Quanto maior a fragilidade ambiental potencial, mais importante que a cobertura do solo natural esteja preservada”, diz ele.

Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

Áreas prioritárias para recuperação

O Sistema identificou também que Santa Catarina possui 596.978 hectares de áreas com fragilidade alta e muito alta em APP. “Essas são as áreas que devem ser priorizadas para o Plano de Regularização Ambiental, pois se caracterizam por apresentar conflitos de uso em locais com características de paisagem inadequadas à atividade agrícola, como alta declividade, topos de morro e beiras de rios”, esclarece Vianna.

O pesquisador revela que, a partir das áreas, é possível alimentar modelos que estimem, por exemplo, a quantidade de mudas necessárias para recuperação ou a quantidade de carbono que poderá ser estocada a partir da recuperação. “Esse sistema também permite mapear a fragilidade das áreas para vários objetivos, a exemplo de enchentes, deslizamento de terras e perda da biodiversidade”.

Foto: Reprodução/Secom SC
Foto: Reprodução/Secom SC

acesso a esse sistema é feito pela internet e está disponível  sem nenhum custo à população. Lá o usuário pode calcular o índice de fragilidade ambiental nas áreas de interesse em SC e para as áreas prioritárias definidas a partir da altitude, da proximidade com a hidrografia e da declividade. Para auxiliar na pesquisa, a plataforma disponibiliza um  manual de uso .

Plano de Regularização Ambiental

O Plano de Regularização Ambiental está previsto no novo Código Florestal Brasileiro e tem como objetivo regularizar as áreas rurais em situação de irregularidade ambiental, especialmente em relação ao uso agropecuário em áreas de preservação permanente e reserva legal. O PRA permite que os proprietários rurais regularizem suas propriedades por meio da adesão a compromissos que visam à recomposição e à regeneração florestal das áreas com passivos ambientais.

“No contexto da agricultura familiar, o PRA prevê como estratégia de regularização a adoção de  Sistemas Agroflorestais de Produção (SAFs),  considerado como um dos mais importantes sistemas de produção agropecuária de baixo carbono”, argumenta Vianna. Esses sistemas são preconizados pela Epagri e levados aos agricultores por meio do trabalho de extensão rural. 

Mais informações e entrevistas: 

Luiz Vianna, pesquisador da Epagri/Ciram

Fone: (48) 3665- 5161 / [email protected]

Informações para a imprensa
Isabela Schwengber
Assessora de comunicação da Epagri
(48) 3665-5407/99167-3902

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias